A importância de ter um coach no desporto de alta competição!

Como um coach pode ajudar desportistas de alta competição?

Sendo eu um desportista de basquetebol amador durante muitos anos e agora treinador de basquetebol, sempre me fascinou o treino mental que muitos atletas faziam, fora do treino propriamente dito.

Durante anos senti na pele o como o meu estado de espírito e motivação influenciava o meu desempenho desportivo e como nem sempre o cesto estava lá para mim.

sessão-de-coach-alta-competição

Por essa razão e depois de ter abandonado a prática desportiva e me ter dedicado à formação em treinador de basquetebol, fui me especializando em áreas do alto desempenho.

Confesso que é uma área muito abrangente e ampla e com muita informação em conflito. Muitas teorias, muitos livros, muitos cursos que faz qualquer um perder a direcção!

A maior questão a ter em conta quando se trabalha como coach individual na alta competição

Acompanhar um atleta é muito mais além do que o treino propriamente dito. Ser coach de um atleta exige uma ligação e empatia muito forte. Em primeira análise exige paciência e compreensão tanto por parte do atleta como do coach.

Aquilo que acontece normalmente comigo, é que alguns atletas me procuram por algum problema específico, grande parte associado à quebra desportiva a nível do Basquetebol. Apesar de ter alguns atletas de outras modalidades.

 

É importante numa fase inicial, isolar bem qual é o problema que o atleta identificar e saber qual é o seu grande objectivo. Apesar da necessidade de sermos isentos na escolha do grande objectivo do atleta, temos de perceber de uma forma global como o atleta está a nível emocional, nas áreas mais importantes para ele.

Muitas vezes os atletas estão a passar por grandes desafios a nível pessoal e isso passa quase despercebido para a prática desportiva. Algo que relembro com frequência aos meus atletas é que o nosso corpo e mente são inseparáveis e sempre que lidamos com emoções ditas menos positivas, esse vai afectar.

foto-de-Basquetebol

O grande segredo numa fase inicial é aceitar que estamos a lidar com esta situação e baixar o nível de desempenho (seja em que área for) é uma resposta normal do nosso organismo, e até um sinal de alerta para que estejamos atentos.

Ignorar a situações e emoções que aparentemente nos estão a atrapalhar não resolve a situação, bem pelo contrário, só piora. É como quando se atira pó para debaixo do tapete, não se vê, mas ele está lá.

Como desenhar um plano coerente e alinhado com as grandes necessidades do atleta

Apesar dos atletas nos procurarem por uma dor específica, e quererem muito rapidamente resolver a questão, alertamos sempre que essa pode ser a ponta do icebergue e que outras questões mais profundas podem ser a origem de algumas atitudes, comportamentos ou pensamentos.

Não estou a falar de questões simples, ok! Falo de questões mais profundas e que exige um maior acompanhamento.

Numa fase inicial sugiro que se faça um levantamento das emoções ou situações que mais o preocupam, quais são os seus maiores medos e inseguranças. Sem a preocupação de acertar ou errar, é um processo em que podemos voltar atrás quantas vezes forem necessárias.

Costumo contar a metáfora da panela de pressão que vai acumulando energia aos poucos e que chega a um dia e explode. O trabalho é ir aos poucos isolando situação por situação, através de várias estratégias e ferramentas de coaching, hipnose e PNL (Programação-Neuro-Linguistica). Normalmente vamos ajudando a pessoa tirar o pé do acelerador e começar a focar mais no momento presente.

importância-do-coaching

Focar no momento presente, e “livre” do peso de alguns pesos do passado ou de preocupações futuras, começamos a ver com mais clareza todas as dimensões da nossa vida.

Nesta fase, promovemos aquilo a que se chama de grandes intenções para a vida nas áreas mais importantes, e estabelecemos um plano exequível e adaptado ao atleta. E reparem que nem sequer interferimos de forma directa no treino ou situação de jogo.

Apesar de não interferirmos na situação de jogo ou treino, aquilo que os atletas referem é que se sentem mais motivados, mais concentrados e focados. Não sei explicar a ligação directa, mas explico dizendo que o atleta estando mais leve, consegue aceder de uma forma mais eficaz a todos os recursos e como tal, gerar resultados mais eficientes.

Normalmente os atletas que vêm com uma questão especificamente profissional, percebem que a nossa vida e interdependente de várias áreas da nossa vida e dos vários contextos que nos rodeiam. Aliás da forma como nós nos relacionamos com essas duas dimensões.

E perceber que o resultado no contexto desportivo é apenas o reflexo de algo que acontece na nossa mente, ajuda-os a questionarem a sua vida numa nova dimensão. Confesso que algumas situações podem à primeira vista ser dolorosas, outras nem tanto, mas perceber que todas elas são importantes para o nosso crescimento ajuda-nos a perceber melhor a nossa existência e o nosso caminho.

Ter uma noção mais elevada da sua missão de vida faz parte do trabalho de coach no alto desempenho

Por vezes acreditamos que a nossa actividade profissional (neste caso desportiva) e o nosso propósito, mas muitas vezes pouco elaborado. Acredito que ter metas e objectivos na vida é importante, mas eles devem estar alinhados com algo que acredito maior do que nós próprios. Acredito que trabalhar áreas que nos colocam em estado de fluir, coisas que faríamos sem que fossem pagos, merecem a nossa atenção e devem cada vez mais estar presentes na nossa vida. Não estou a dizer que existe só um propósito ou uma missão de vida. Acredito que num determinado momento exista um propósito e que ele de pode alterar, mas acho que primeiro temos de abrir algumas portas para que outras se possam mostrar. Confiar no processo é absolutamente importante.

Tudo isso vai ser incluído num plano com objectivos a curto, médio e longo prazo.

Não se fiquem pela simplicidade da questão, mas é a minha opinião breve sobre o meu trabalho a nível do alto desempenho no basquetebol.

Costumo deixar um vídeo para esclarecer melhor os meus atletas sobre o meu trabalho Basketball Motivation – You Don’t Live Forever: